You are here

Linfedema

Linfedema

O linfedema pode se manifestar como um inchaço de um ou mais membros e pode incluir o quadrante correspondente do tronco. O inchaço também pode afetar outras áreas, como por exemplo, cabeça, pescoço, peito ou genitália. O linfedema é o resultado do acúmulo de fluidos e outros elementos (p.ex.: proteínas) nos espaços intersticiais devido a um desequilíbrio entre sua produção e transporte. Ele se origina de má-formação congênita do sistema linfático ou de dano aos vasos linfáticos e/ou linfonodos. O linfedema é uma moléstia crônica não curável no presente, mas que pode ser aliviada com uma gestão adequada; se não for tratada, pode evoluir e se tornar difícil de controlar.

Quantos pacientes são afetados?

Ao nascer, cerca de uma pessoa a cada 6.000 irá desenvolver linfedema primário; a prevalência geral de linfedema/edema crônico foi estimada em 0,13-2%. Em países desenvolvidos, a principal causa de linfedema é amplamente considerada como sendo o tratamento do câncer.

Entretanto, parece que entre um quarto e metade dos pacientes afetados sofrem de outras formas de linfedema, p.ex. linfedema primário e linfedema associado com uma função venosa deficiente, trauma, dependência do membro ou moléstia cardíaca.

Quais são os fatores de risco?

O verdadeiro perfil de fator de risco para linfedema é desconhecido. Talvez existam vários fatores que predisponham um indivíduo a desenvolver linfedema ou que possam prever o avanço, a gravidade e as consequências da moléstia.

Classificação do linfedema

Os linfedemas são classificados como primários ou secundários.

  • Acredita-se que o linfedema primário seja o resultado de uma anormalidade congênita do sistema condutor de linfa.
  • Linfedema secundário ou adquirido resulta de lesão nos vasos linfáticos e/ou linfonodos, ou de deficiência funcional. Infecções causadas por picada de insetos, ferimentos ou queimaduras graves podem causar linfedema quando lesionam ou destroem os vasos linfáticos. Qualquer tipo de cirurgia, ferimento grave ou radiação para tratamento de câncer também podem causar o surgimento da doença. Ela também pode ser o resultado de uma falha da circulação linfática.

Tratamento do linfedema

O linfedema possui diversos estágios de desenvolvimento. Os acessórios de compressão podem ser usados como profilaxia ou como parte a gestão inicial em pacientes com linfedema discreto dos membros superiores. O principal uso de roupas de compressão ocorre na gestão de longo prazo do linfedema, geralmente após um período de terapia intensiva. Em geral, o nível de compressão usado para tratar o linfedema do membro superior é mais baixo do que o exigido para linfedema dos membros inferiores. (1).

Alguns pacientes - especialmente os que se submeteram a tratamento de câncer de mama – podem utilizar uma braçadeira de baixa compressão (15-20 mmHg) para reduzir o risco de desenvolver linfedema. Esta pode ser usada em épocas de “alto risco” como durante voos, exercícios ou um uso excessivo do braço em questão. Para esses pacientes que possuem edema discreto ou extremidades bem descongestionadas, uma braçadeira de 20-30 mmHg pode ser apropriada. Para um paciente com alto nível de edema, existem várias formas de obter redução com a descongestão do membro, incluindo drenagem linfática manual e/ou bandagem de compressão.

O resultado pode ser mantido com acessórios de compressão. Os acessórios de compressão podem ser usados como gestão inicial em pacientes com linfedema discreto de membro superior com alterações mínimas no tecido subcutâneo e pouca distorção de forma. Onde há edema depressível, será necessária uma bandagem de multicamadas para reduzir e estabilizar o inchaço antes da aplicação de acessórios de compressão.

Acessórios de compressão de baixa pressão também desempenham um papel na gestão de sintomas em um contexto paliativo.

Como minimizar o risco de desenvolver linfedema?

  • Cuide bem da pele e das unhas
  • Siga uma dieta balanceada
  • Mantenha peso ideal
  • Evite roupas íntimas, roupas, relógios e jóias muito apertados
  • Use sapatos confortáveis
  • Faça exercícios/movimentos e eleve as pernas
  • Evite risco de ferimentos
  • Evite exposição ao frio ou ao calor extremo
  • Use protetor solar com fator de proteção alto e repelente de insetos
  • Use rede de proteção contra mosquitos em áreas de filariose linfática endêmica
  • Use acessório de compressão se prescrito ou recomendado

(1) Lymphedema Framework: International Consensus. Best Practice for the Management of Lymphoedema. 2006, pages 19-39.

Linfedema: Soluções SIGVARIS

A SIGVARIS oferece diversos tipos de produtos de compressão para tratar e aliviar pacientes com linfedema. Para linfedema dos membros inferiores, as meias de compressão masculinas ou femininas estão disponíveis em diferentes níveis de compressão. Fale com seu medico sobre as soluções de tratamento.

A braçadeira SIGVARIS ADVANCE® é a mais recente resposta da SIGVARIS ao tratamento de linfedema dos membros superiores. Este produto foi projetado com e para o paciente. A textura de SIGVARIS ADVANCE® é feita de microfibra de poliamida. Além de sua textura macia, esta microfibra inovadora incorpora um aditivo bacteriostático. O agente inorgânico contém íons de prata que protegem a pele contra a multiplicação bacteriana. O agente não-bactericida mantém a flora saprofítica natural da pele. Portanto, a SIGVARIS ADVANCE® contribui com a manutenção de uma boa higiene da pele do braço com linfedema. Semelhante ao algodão, a viscose termorreguladora tem a vantagem de melhor absorção da umidade da pele, o que dá um conforto extra altamente apreciado pelos pacientes. A escolha de uma tonalidade natural, desenvolvida juntamente com os pacientes e a costura fina que reduz a irritação da pele, ajudam os pacientes em seu tratamento. Ademais, a braçadeira SIGVARIS ADVANCE® com luva é o único produto deste tipo que atende as diretrizes de Boas Práticas Internacionais – sendo que a luva tem o mesmo nível de compressão da braçadeira.